Maranhão comemora saldo positivo na geração de empregos na Agropecuária

O setor da agropecuária maranhense garantiu saldo de 498 empregos formais, no ano de 2020, apesar do cenário de pandemia, onde muitos segmentos promoveram demissão em massa. O número consta em relatório do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (Caged/e-Social). O levantamento considerou o cenário de emprego nas diversas atividades do setor – pecuária, agricultura, aquicultura, silvicultura, entre outros.

O secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), Sérgio Delmiro, destacou a importância e força do setor no desenvolvimento econômico do Maranhão. “A significância do setor agropecuário é observada não só pela quantidade de empregos gerados, hoje mais de 21 mil empregos com carteira assinada, mas também pela manutenção destas oportunidades de trabalho. Finalizamos o ano de 2020 com o salto positivo na geração de empregos, mostrando a força e pujança da agropecuária do nosso estado em todos os setores”, reforça Delmiro.

O levantamento do Caged/e-Social aponta que, no período, foram contratadas 8.995 para atuar na agropecuária do Maranhão. Como resultado da pandemia do novo coronavírus, observou-se um total de 8.497 desligamentos. O saldo positivo de empregos mantidos no Estado é maior que o do vizinho Piauí, que ano passado manteve 414 empregos.

“O setor se destacou em todos os seus setores, que sejam a na pesca, nas produções florestal e vegetal, na agricultura e pecuária. Vemos todos estes empregos distribuídos em todas essas áreas, mostrando que, mesmo em tempos de pandemia, o agronegócio, a agropecuária conseguiram se manter, tanto na questão de crescimento produtivo, como também na geração de emprego e renda no Maranhão”, conclui o titular da Sagrima.