Secretário Sérgio Delmiro é entrevistado pela CONAFER

 

 

O Secretário da SAGRIMA, Sérgio Delmiro foi entrevista pela Confederação Nacional de Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais (CONAFER), na última quarta-feira(24/03), confira a entrevista na íntegra. 

Da Redação(conafer.org.br)  

Com 2º maior rebanho do Nordeste, Maranhão é primeiro Estado a assinar acordo do +Pecuária Brasil com a CONAFER

Foto Divulgação- Sergio Delmiro(Secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca)

A notícia foi dada pelo secretário da SAGRIMA, a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca do Maranhão, o engenheiro agrônomo Sérgio Delmiro, que concedeu entrevista para a SECOM, quando falou da importância da parceria para o setor agropecuarista do Estado

Levar o +Pecuária Brasil, o programa de melhoramento genético da CONAFER, para os agropecuaristas familiares maranhenses passa a ser algo real a partir de agora, com a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Estado e a Confederação para execução deste projeto de inseminação artificial inédito no país.

O +Pecuária Brasil foi criado para promover o desenvolvimento dos rebanhos bovinos de corte e leite, contribuindo para o crescimento sócioeconômico dos agropecuaristas familiares brasileiros. Em parceria com as Secretarias de Agricultura e Agropecuária dos estados, a CONAFER fará a doação de 12 mil doses de sêmens por unidade federativa durante os próximos 4 anos aos pequenos pecuaristas, com a meta de atingir todo o território brasileiro.

O programa é custeado pela CONAFER, e os sêmens utilizados nos casamentos dos plantéis fazem parte do catálogo de raças da empresa mais importante do setor, a líder mundial ALTA GENETICS.

Sobre as vantagens do +Pecuária: os produtores terão apoio técnico e acompanhamento pelas secretarias de estado e municípios; as doses, insumos e logística são de responsabilidade da CONAFER; o programa permite o uso de touros provados, reduzindo as chances de doenças genéticas nos plantéis; os técnicos indicados pelo Estado receberão treinamento da empresa Alta Genetics referente ao processo; garantia de valor agregado ao produto final; aumento de muitas vezes na produção leiteira, na qualidade do gado de corte e na lucratividade do produtor. 

O tipo de inseminação seguirá o protocolo de IATF, ou Inseminação Artificial em Tempo Fixo, e que traz benefícios, como: melhor controle zootécnico; realização de diferentes cruzamentos; favorecimento da seleção e o melhoramento genético; permite a escolha da data do parto; facilita a organização dos manejos; possibilita melhor retorno financeiro. O uso da IATF permite, ainda, eliminar a observação de cio, diminuindo riscos com falhas de observação, além de concentrar ainda mais as concepções.’

SECOM:

O Estado do Maranhão e a CONAFER assinaram um Acordo de Cooperação Técnica para a implantação do +Pecuária Brasil, um programa de melhoramento genético muito importante no estímulo ao empreendedorismo dos agropecuaristas, para o desenvolvimento da economia e da sustentabilidade do setor. Como o Estado recebe este ACT e quais as perspectivas a partir da sua implantação?

Sérgio Delmiro:

Este Acordo de Cooperação foi muito bem recebido pela Secretaria de Agricultura, desde que a CONAFER entrou em contato falando do +Pecuária, porque ele se encaixa muito bem com as atividades que nós já estamos desenvolvendo, principalmente junto aos agropecuaristas que querem melhorar o seu rebanho, mas carecem de recursos. E ao mesmo tempo, ele chega em um momento em que estamos trabalhando com estas cadeias produtivas levando assistência técnica, podendo incorporar a tecnologia do melhoramento genético nas propriedades destes pecuaristas.

Com 8 milhões cabeças, temos hoje o segundo maior rebanho do Nordeste, sendo que no último ano o Maranhão teve um crescimento de 6,5% a 7% no mercado pecuarista. Houve uma grande variação de preços que valorizaram ainda mais os produtos, tanto da arroba do boi, como no valor do leite, então este ACT é muito bem-vindo para seguir neste crescimento do setor no Estado.

SECOM: 

Como a Sagrima atua no segmento agrofamiliar no Estado, e mais especificamente, no setor de pecuária? E como é feito o acompanhamento dos rebanhos de corte e leite?

 Sérgio Delmiro:

Temos trabalhado esta transição da agricultura familiar mais tradicional, daqueles pequenos produtores que estão saindo da subsistência, para uma agricultura familiar de mercado, inserindo o agricultor e os seus produtos na cadeia comercial. Neste sentido, é muito importante ações como esta do programa +Pecuária, que busca exatamente este agricultor diferenciado, já em condições de receber esta tecnologia por ter estrutura em sua propriedade, pois cumpre as condições sanitárias mínimas do seu rebanho para fazer parte do projeto. 

Em relação ao acompanhamento dos rebanhos e do segmento agropecuário, já faz algum tempo que o Maranhão traçou um perfil que é sempre atualizado pelo Sistema Integrado de Mercados Agropecuário, o SIMA. O Sistema funciona como ferramenta de pesquisa e coleta de preços referenciais dos produtos agropecuários e pescados em nível produtos e atacado desenvolvido pela Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca, a SAGRIMA.

O Maranhão tem todas as informações do mercado agropecuário em tempo real com o SIMA, o Sistema Integrado de Mercados Agropecuário:

 

As cotações dos produtos são monitoradas diariamente e têm como base informações coletadas diretamente aos Sindicatos, Cooperativas e Associações. Os valores dos produtos com suas respectivas variações serão informados semanalmente, conforme atualizações junto às suas fontes, tendo como abrangência as principais culturas produzidas e as espécies de pescados mais comercializados no Estado do Maranhão.

O resultado do trabalho constitui uma base de preços referenciais dando suporte para projetos, realização de estudos econômicos sobre o comportamento dos preços agropecuários e de pescados, subsidiando as ações voltadas ao planejamento e à formulação de políticas públicas.

SECOM:

O Maranhão registrou em 2020 o 6º maior aumento do país em valor da produção agropecuária. Quais as expectativas para 2021? E como está a preparação do Maranhão para receber o +Pecuária Brasil?

Sérgio Delmiro:

Durante todo o ano de 2020 houve uma elevação constante nos preços dos grãos, do pescado e do setor pecuário, principalmente na carne de corte. A tendência é permanecer este crescimento bem ascendente e termos recordes de safras em 2021. Porém, o governo do estado tem um olhar para aqueles agricultores invisíveis, produtores que estão sofrendo com a pandemia, que precisam da ação e incentivo do Estado para produzirem, e também por meio das compras governamentais, serem incorporados ao mercado comercial.

Maranhão tem 96% do seu rebanho vacinado contra a febre aftosa

Exatamente por isso, parcerias como a do +Pecuária, que trazem tecnologia, aumento da produção e da renda dos agropecuaristas familiares, fazem a diferença e são muito bem-vindas. Em relação à implantação do ACT, já realizamos uma seleção das regiões e cidades que devem receber as doses de sêmens do +Pecuária. Para os rebanhos de leite, selecionamos São Francisco do Brejão, Cidelândia, Vila Nova dos Martírios, Imperatriz, Grajaú e Barra do Corda. Já para a inseminação para melhoramento do gado de corte, as cidades contempladas devem ser Amarante do Maranhão, Santa Luzia do Tide, Bom Jardim, Buriticupu, Zé Doca e Barra do Corda.

Ao final da entrevista, Sérgio Delmiro fez questão de agradecer à CONAFER pela assinatura do ACT e deixou um convite para a efetivação de novas parcerias para levar os diversos programas da Confederação voltados às outras culturas e categorias de agricultores familiares.